O PERIGO DA FIAÇÃO EM SÃO PAULO

PRAÇA DA IGREJA DE MOEMA

A maior cidade do país vive um caos na eletricidade publica. São fios de empresas diferente como tv a cabo, telefonia fixa e móvel.
Esse emaranhado de fios se multiplicam todos dias em São Paulo, sem o menor controle das empresas responsáveis ou pelas autoridades. Além da poluição visual, existe o perigo constante de acidentes, como o que aconteceu em junho do ano passado, no bairro do Tatuapé, quando um fio de alta tensão caiu sobre um carro, matando o motorista e deixando outra pessoa com queimaduras graves.
Ainda no ano passado mais duas explosões com fios de alta tensão assustaram e prejudicaram moradores da vila madalena. Os pedestres que circulam pelo bairro de Moema tem que dividir espaço com os fios soltos e torcer para que não aconteça nenhuma explosão.
Especialista dizem que apesar do alto custo para fazer a enterrarão dos fios, a manutenção seria mais barata e o risco de faltar energia é bem menor.
Nossa reportagem procurou a
AES Eletropaulo que nos informou que os fios mencionados no bairro de Moema, em São Paulo, são de telecomunicação e, portanto, não são de responsabilidade da distribuidora. De acordo com determinação da ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), as concessionárias não são autorizadas a manusear ou realocar fiações que não são de energia elétrica.

A distribuidora acrescentou que mantém sua rede elétrica dentro dos mais adequados padrões de construção e operação, obedecendo ao regulamento vigente. A AES Eletropaulo disse ainda que a concessionária não pode negar acesso aos postes pelas demais empresas que compartilham a estrutura e, nem é responsável pela instalação dos demais fios.
Quanto à fiscalização dos fios de telecomunicação, a concessionária esclarece que mantém notificadas as empresas que usam de seus postes, no sentido de que elas cumpram com as obrigações contratuais estabelecidas nos contratos de compartilhamento de postes, cabendo à ANATEL exigir de suas empresas reguladas o devido cumprimento dessas obrigações.

Sobre o enterramento da rede aérea – o que inclui rede de energia, telecomunicação e tv a cabo -, a AES Eletropaulo informa que, até o momento, não teve acesso às informações do Programa de Enterramento da Rede Aérea (PERA), cuja elaboração, de acordo com a Lei de Enterramento, está a cargo da comissão que envolve vários setores da gestão municipal.



(Next News) »



deixe uma mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked as *

*

© 2017: RevistaCitta | NewsPress Theme by: D5 Creation | Powered by: WordPress